Onde as palavras só serão lidas por quem as quiser absorver...

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Pensamentos sorridentes

A chuva que bate na janela é como música de uma qualquer orquestra internacional… Começou leve escondendo a sua presença e torna-se agora forte mostrando tudo o que tem.

O ritmo que a chuva impôs à minha mente levou-me ao meu lugar de reflexão, a luz que não acendi apenas me ajudou a deixar-me levar…

Sinto-me bem, fecho os olhos e sorriu! (Há tão pouco eram lágrimas que caiam…)

Como é bom pensar em ti… Tu que eu neguei tanto tempo para docemente me entregar quando te tive certo. É bom saber que desta vez não errei… Que não foram inúteis os sentimentos e que as mágoas nos tornaram mais fortes. Que prazer me dá ter a certeza de te ter amanhã como nunca na minha vida tive certeza de nada. E tão doce, tão doce, meu amor, é o sorriso que me pões na alma, muito mais que nos lábios, e que me aquece e acalma com todo o seu fulgor… Como é bom adormecer contigo no pensamento e ainda sentindo o teu cheiro percorrer meu corpo como se adormecesse contigo junto a mim.

Como é bom pensar em ti… Depois de tanta felicidade pensei não sobrar nada, pensei que de nada teria valido as horas gastas e que tudo era vão. Afinal (eu sabia que não tinha sido vão) tudo valeu a pena, mesmo que a felicidade não seja a mesma e o sorriso não seja o teu, mesmo que a mão que me ampara não seja a tua e o meu último pensamento (já) não seja para ti, sei que tudo valeu a pena, porque eu sorrio se te recordo e nada mais me magoa do que deixamos escapar. É

bom saber o quanto amei e amo ainda, talvez... É salutar a tua presença e não magoa, bem pelo contrário… Sabe-me bem!

Como é bom pensar em ti… Mesmo depois de ter prometido não mais pensar e jurado seres apenas parte da felicidade passada! Mesmo depois de ter fechado a porta onde te encontrava e ter deixado o vento levar tudo o que me trazia a tua presença! Já chorei tudo o que tinha a chorar por ti. Já me privei de tudo. Já me culpei de tudo. E já me perdoei também… E já cresci! Cresci como (agora) sei que querias que crescesse, como me deste todas as peças para que me construísse e como me tornei quem querias que fosse, quem queres que seja. Hoje só recordo os bons momentos, até porque o único mau momento que te tive foi no dia em que me (nos) deixaste e mesmo nesse recordo o teu olhar e o último bater do teu coração e até nesse consegues arrancar-me um sorriso.

Como é bom poder sorrir quando penso :D


1 comentário:

Ninii disse...

O teu bonequinho é psicótico...